Pelo direito de saber o que comemos

Uma questão importante para Administradores e para a sociedade em geral, normalmente desconsiderada, é a qualidade da alimentação que consumimos nos dias de hoje. Não se trata de desqualificar o papel do agronegócio e da indústria de processamento de alimentos no âmbito mais geral, mas sim a importância de o consumidor saber sobre o alimento que esta chegando à sua mesa. Neste aspecto falamos de transgênico, de taxas de sódio, de conter ou não lactose e outros itens fundamentais para as pessoas com intolerância alimentar, etc.

Os produtores resistem a dar transparência aos dados e informações sobre os produtos. Como diz o IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), ” Informações importantes sobre os alimentos que você consome nem sempre chegam até você e isso pode levar a escolhas erradas. Com rótulos mais compreensíveis e informação adequada, as pessoas podem fazer escolhas alimentares mais conscientes e, consequentemente, mais saudáveis”.

Encampamos a proposta do IDEC e de pesquisadores da UFPR (Universidade Federal do Paraná) encaminhada à ANVISA para aprimoramento da rotulagem de alimentos.

veja a campanha em:

https://idec.org.br/direitodesaber

Temos direito de saber o que comemos:

Fonte: IDEC – Vídeos produzidos pela campanha,

CFA: Prêmio Guerreiro Ramos de Inovação na Gestão Pública com inscrições abertas

No final deste mês (31/10) encerram-se as inscrições do ‘Prêmio Guerreiro Ramos de Inovação na Gestão Pública’. Criado em 2010, o concurso tem como objetivo estimular pesquisas científicas e práticas inovadoras, na área de Administração pública, por meio de premiações em dinheiro e reconhecimento profissional.

Os trabalhos a serem apresentados devem estar relacionados ao tema centro do concurso: “Gestão Pública inovadora em Finanças, Gestão e Desempenho“. Podem participar estudantes e profissionais de Administração, com registro nos CRAs de todo Brasil.

Além do troféu, as premiações em ‘práticas inovadoras’ obterão: R$ 10 mil (1º colocado), R$ 5 mil (2º colocado) e R$ 2 mil (3º colocado). Já na categoria melhor ‘pesquisa científica’ os valores serão R$ 5 mil (1º colocado), R$ 3 mil (2º colocado), R$ 1.500 (3º colocado).

Para o presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Mauro Kreuz, que além de administrador é professor, pesquisador e empresário, o concurso visa contribuir para o desenvolvimento de boas práticas e para o desenvolvimento da Ciência da Administração. Segundo ele, uma das preocupações do CFA tem sido promover o desenvolvimento do país.

“Entre os objetivos que fazem parte da nossa existência (do CFA) está o de divulgar, valorizar e estimular a Ciência da Administração, bem como inovações em nosso segmento. Além disso, o prêmio é uma forma de contribuir para o desenvolvimento do Brasil, na medida em que podemos propor novas formas de gestão e mostrar todo o potencial dos profissionais de Administração, e de nossos estudantes”, explicou.

Na categoria ‘pesquisa científica’ podem participar estudantes de Administração, com registro nos CRAs, que tenham desenvolvido estudos na área da Administração. Já na categoria ‘prática inovadora’ podem participar profissionais da administração, registrados nos CRAs, que tenham implementado, executado, participado ou coordenado práticas inovadoras, na área de gestão pública.

De acordo com o diretor de Gestão Pública do CFA, Fábio Mendes Macedo, o evento trará bons frutos para a administração pública do país. “Queremos também trazer essas práticas para o Sistema, e propor cases de sucesso com a finalidade de desenvolver novos projetos para a área de gestão pública brasileira”, revelou.

 Prêmio Guerreiro Ramos (Edição 2019)

Período de Inscrições: 01/08 a 31/10.

Edital, regulamento e mais informações: 

Prêmio Guerreiro Ramos de Inovação na Gestão Pública – Edição 2019

Fonte: CFA