VI Fórum Paraibano de Gestão Pública

Dia: 29/11
Local: Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB)
Realização: Conselho Regional de Administração da Paraíba – CRA-PB
Premiação TOP 08 CFA/CRA-PB de Gestão Municipal do Estado da Paraíba.
Investimento: 1kg Alimento não Perecível.

Faça sua inscrição aqui: http://bit.ly/FOGESP2019

Projeto Mapa Brasil Afrotech

Quando falamos de Administração, alguns temas continuam sendo um pouco que tabus. A discriminação racial é um deles. No discurso de muitas empresas, vivemos a máxima da igualdade racial plena, do Brasil sem discriminação ou do “as empresas tem o direito de escolher quem serão seus empregados”. Na dura realidade a discriminação é velada, muitas empresas abrem mão da possibilidade de ter profissionais com grande potencial de trabalho por conta da condição racial. majoritariamente a discriminação é com os negros, mas também acontece com indígenas e outras raças.

Dentro deste quadro, vale a pena destacar algumas iniciativas que visam mostrar que o potencial de trabalho independente da questão racial. Um projeto em especial chama a atenção, trata-se de iniciativa da UNICAMP, que visa: ” disponibilizar aos pesquisadores e à comunidade um banco de dados, a conter informações qualificadas sobre desenvolvedores e participantes afro-brasileiros inclusos em projetos com características de inovação tecnológica e, em destaque, em componentes correlatos ao ambiente das novas tecnologias e mídias digitais”.

O Projeto Mapa Brasil Afrotech disponibiliza informações sobre profissionais e instituições que mostram o potencial e a capacidade de profissionais negros em todos o país. vale a pena conhecer cases como:

Nadia Ayad:
vencedora do concurso Global Graphene Challenge onde apresentou “apresentou a idéia de usar grafeno para um dispositivo de filtragem e um sistema de dessalinização que forneceria água potável para as famílias. Sua idéia reduziria significativamente os custos de energia e sobrecarregaria os suprimentos de água atuais, reciclando a água”.
veja em: https://www.sandvik.coromant.com/en-us/aboutus/lookingahead/pages/the-graphene-challenge.aspx

Ale Santos:
“Escritor de Ficção e Fantasia Afro-americana, que representou o Brasil em uma Antologia Mundial de Scifi (2013). Pesquisador de narrativas africanas, citado pela revista Piauí como o Cronista dos Negros no Twitter, é colunista da Vice Brasil, já colaborou com The Intercept Brasil e a Revista Superinteressante . Reconhecido pelas thread com narrativas afrocentradas que já alcançaram milhões de visualizações no twitter. Dá aulas de Gamificação na pós da ESPM e como consultor, além de desenvolver projetos para startups, foi um dos responsáveis por 5 edições da gamificação do maior evento de TI da América Latina, o IT Forum”.

Veja em: https://alesantos.me/

Vale do Dendê
A Escola Vale do Dendê oferta cursos, treinamentos, workshops e formações com foco no público corporativo e para o público geral. Usando metologias disruptivas e com os melhores consultores do campo da inovação e diversidade do Brasil, nosso braço educacional tem como objetivo aproximar os conceitos complexos criados no Vale do Silício e em outros centros de inovação para o público com menor poder aquisitivo. Nosso lema é “Inovação para Tod@s” e para isso realizamos parcerias com empresas e governos para levar cursos para as áreas mais populares do Brasil.

Veja em: http://valedodende.org/

Fonte: https://www.nied.unicamp.br/mapabrafrotech/

Conheça a RBA, a revista do CFA

Uma das principais revistas sobre Administração produzidas no Brasil, a RBA, Revista Brasileira de Administração é editada pelo Conselho Federal de Administração.

Com conteúdo qualificado, é uma fonte importante para profissionais e estudantes de Administração.

Produzida a mais de 25 anos, a RBA trabalha para manter seu público sempre informado dos acontecimentos do universo da Administração e dos principais fatos jornalísticos, a Revista tem editorias que abordam o conteúdo em um formato leve e de fácil compreensão.

Conheça em http://revistarba.org.br/

Ou leia a última edição em:
https://online.flippingbook.com/view/375956/

Empresa Norte Americana fecha fábrica na Argentina e transfere operações para o Brasil

Tristeza para alguns e felicidades para outros, ou empregos que migram de um pais para outro em função de seus interesses comerciais.
Nesta dança de cadeiras, a empresa americana Navistar, fabricante de Caminhões, Ônibus (entre estes os famosos ônibus escolares americanos) e veículos de defesa, anunciou o encerramento de atividades de sua fábrica de motores na Argentina com a migração das atividades para a sua subsidiaria no Brasil. Foram 100 postos de trabalho perdido pela cidade de Córdoba.
Sobre este assunto, segue o comentário de nosso colaborador para America do Sul, Adm Alberto N. Vargas Callejas, escrevendo diretamente de La Paz na Bolívia:

MWM fecha operações na Argentina

É comum nas empresas transnacionais abrir filiais em outros países, mas também é comum fechá-las; Esse tipo de empresa trabalha com um objetivo financeiro claro, com base nos regulamentos internos de cada país onde abre suas operações, faz um grande investimento na construção de plantas e importa as máquinas e equipamentos necessários para iniciar suas operações, além de contratar pessoal (um grande número de operadores, técnicos e profissionais, geralmente locais) e, com profissionais locais, oferece consultoria em questões trabalhistas e jurídicas para que tudo esteja em ordem.

Essas empresas assumem um grande risco, porque também desejam ter alta rentabilidade para dominar o mercado com seus produtos; no caso em apreço, são as máquinas pesadas que não têm uma venda em massa, mas são voltadas para o setor; Portanto, cada máquina ou equipamento é oneroso para os empreendedores; portanto, existem objetivos de produção relacionados às vendas desses produtos que, se não atendidos, a empresa transnacional simplesmente fecha as operações e / ou muda a planta para outra área onde está mais conveniente para a venda.

Por outro lado, recentemente a Volkswagen anunciou a venda no mercado de seu carro elétrico com o apoio do Governo Federal da Alemanha. Enquanto a fábrica produz os carros, o governo colocará mais usinas de recarga em todo o país, essa medida neutraliza a dependência de petróleo e gasolina na Alemanha e protege o meio ambiente, reduzindo a emissão de gases tóxicos dos carros que usam combustíveis.

Também, conta com o fechamento da fábrica em Córdoba, a difícil situação econômica na Argentina como resultado da crise cambial e a incapacidade do governo de resolver a questão econômica, que afeta várias empresas naquele país.

Foto: Divulgação Navistar.

Amor ou emprego? qual seria a sua escolha?

Você trocaria um salário de R$ 5.000.000,00 por mês por um grande amor?Pois foi isso que aconteceu com Steve Easterbrook executivo britânico, Presidente Mundial da rede de fast food McDonald´s.  Easterbrook foi desligado da multinacional por ter se relacionado amorosamente com uma funcionária da empresa, o que é proibido pelas normas da empresa.

O presidente, que é divorciado, teve seu afastamento aprovado pelo Conselho da empresa que desconsiderou uma folha de bons serviços prestados pelo ex presidente nos seis anos em que foi o principal executivo da MCDonalds.

Um caso semelhante já aconteceu na INTEL onde um alto executivo também foi demitido pelo mesmo motivo,

A pergunta que fica é se esta medida é positiva para a empresa?. Perder um quadro gerencial com qualificação excepcional  e resultados apresentados porque passou a se relacionar afetivamente com outro empregado(a) pode ser tão negativo para os negócios?  Talvez seja a hora de adequar as normas e entender, que independente de suas posições gerenciais, um grande amor, talvez, possa ajudar mais do que atrapalhar a Administração.

Num tempo em que as empresas passam a respeitar mais o meio ambiente, as minorias  e a qualidade de vida de suas equipes, esta restrição parece ser um atraso.

Foto: Divulgação McDonald´s e Twiter

Pegeout e Fiat anunciam negociação para possível fusão

O nível de concentração de mercado tem avançado já de a muitos anos, a cada momento ficamos sabendo de mais e mais fusões entre as grandes corporações mundiais. a última que acaba de ser anunciada e a intenção de fusão entre dois gigantes mundiais, PSA e FCA, (Pegeout e Fiat), anunciam a possível fusão das mesmas, nascendo desta fusão o quarto maior grupo automobilístico do mundo. Entre as principais subsidiarias das empresas, temos as marcas: FIAT, Chrysler, Dodge, Alfa Romeo, Maserati, Lancia pela FCA e Peugeot, Citroën, Opel, Vauxhall, Faurecia pela PSA.

Veja o comunicado informativo apresentado pelas corporações:

“As discussões abriram caminho para a criação de um novo grupo com escala e recursos globais de 50% dos acionistas do Groupe PSA e 50% dos acionistas da FCA. Em um ambiente em rápida mudança, com novos desafios em mobilidade conectada, eletrificada, compartilhada e autônoma, a entidade combinada alavancaria sua forte presença global em P&D e ecossistema para promover a inovação e enfrentar esses desafios com velocidade e eficiência de capital.

  • A combinação criaria a 4 ª maior OEM mundial em termos de vendas unitárias anuais (8.7M veículos)
  • No início, a empresa combinada alcançaria uma das margens mais altas nos mercados em que atuaria, com base na força da FCA na América do Norte e América Latina e no PSA do Groupe na Europa
  • A combinação uniria os pontos fortes da marca dos grupos nos segmentos de luxo, premium, carros de passeio, SUV e caminhões e comerciais leves – tornando-os mais fortes juntos
  • A entidade resultante da fusão reuniria as amplas e crescentes capacidades das empresas nas tecnologias que moldam a nova era da mobilidade sustentável, incluindo trem de força eletrificado, direção autônoma e conectividade digital
  • Aproximadamente € 3,7 bilhões em sinergias anuais de taxa de execução estimadas sem fechamento de fábrica resultantes da transação
  • Equipe de gerenciamento combinado altamente respeitada, reconhecida por criação de valor excepcional e com sucesso comprovado em combinações anteriores de OEM
  • O conselho da controladora holandesa teria representação equilibrada e a maioria de diretores independentes. John Elkann como Presidente e Carlos Tavares como CEO e membro do Conselho

Londres e Rueil Malmaison, 31 de outubro de 2019. O Conselho Fiscal da Peugeot SA e o Conselho de Administração da Fiat Chrysler Automobiles NV (“FCA”) (NYSE: FCAU / MTA: FCA). todos concordaram por unanimidade em trabalhar em prol de uma combinação completa de seus respectivos negócios por meio de uma fusão 50/50. Ambos os conselhos atribuíram às respectivas equipes o mandato de finalizar as discussões para alcançar um memorando de entendimento vinculativo nas próximas semanas.

O plano de combinar os negócios do Groupe PSA e FCA segue intensas discussões entre os gerentes seniores das duas empresas. Ambos compartilham a convicção de que existe uma lógica convincente para uma jogada ousada e decisiva que criaria um líder do setor com escala, capacidades e recursos para capturar com sucesso as oportunidades e gerenciar efetivamente os desafios da nova era da mobilidade.

A combinação proposta criaria a 4 ª maior OEM mundial em termos de vendas unitárias (8,7 milhões de veículos), com receitas combinadas de quase € 170 bilhões [1] e do lucro operacional recorrente de mais de € 11 bilhões [2] em uma base agregada simples de 2018 resultados excluindo Magneti Marelli e Faurecia. Estima-se que o acréscimo significativo de valor resultante da transação seja de aproximadamente € 3,7 bilhões em sinergias anuais de taxa de execução, derivadas principalmente de uma alocação mais eficiente de recursos para investimentos em larga escala em plataformas de veículos, trem de força e tecnologia e da capacidade de compra aprimorada inerente na nova escala do grupo combinado. Essas estimativas de sinergia não se baseiam no fechamento de nenhuma fábrica.

Prevê-se que 80% das sinergias seriam alcançadas após 4 anos. O custo total único de obtenção das sinergias é estimado em 2,8 bilhões de euros.

Os acionistas de cada empresa seriam donos de 50% do patrimônio do grupo recém-combinado e, portanto, compartilhariam igualmente os benefícios decorrentes da combinação. A transação seria afetada por meio de uma fusão com uma empresa controladora holandesa e a estrutura de governança da nova empresa seria equilibrada entre os acionistas contribuintes, com a maioria dos conselheiros independentes. O Conselho seria composto por 11 membros. Cinco membros do Conselho seriam nomeados pela FCA (incluindo John Elkann como Presidente) e cinco seriam nomeados pelo Groupe PSA (incluindo o Diretor Independente Sênior e o Vice-Presidente) [3] . O Diretor Presidente seria Carlos Tavares por um mandato inicial de cinco anos e também seria membro do Conselho.

Carlos Tavares disse: “Essa convergência agrega valor significativo a todas as partes interessadas e abre um futuro brilhante para a entidade combinada. Estou satisfeito com o trabalho já realizado com Mike e ficarei muito feliz em trabalhar com ele para construir uma ótima empresa juntos. ”

Mike Manley disse: “Estou encantado com a oportunidade de trabalhar com Carlos e sua equipe nessa combinação potencialmente revolucionária da indústria. Temos uma longa história de cooperação bem-sucedida com o Groupe PSA e estou convencido de que, junto com nosso grande pessoal, podemos criar uma empresa de mobilidade global de classe mundial “.

A empresa controladora com domicílio holandês do novo grupo seria listada na Euronext (Paris), na Borsa Italiana (Milão) e na Bolsa de Valores de Nova York e continuaria a manter presença significativa nas atuais sedes operacionais da França, Itália e NOS.

Propõe-se que o estatuto da nova empresa combinada estabeleça que o programa de voto de lealdade não funcione para conceder direitos de voto a qualquer acionista único na Assembléia Geral que exceda 30% [4] do total de votos expressos. Também está previsto que não haverá transferência dos direitos de voto duplo existentes, mas que novos direitos de voto duplo serão acumulados após um período de três anos após a conclusão da fusão.

Uma parada em relação às participações da EXOR NV, da Bpifrance Participations SA, da DFG e da família Peugeot se aplicaria por um período de sete anos após a conclusão da fusão. A EXOR, a Bpifrance Participations e a Família Peugeot estariam sujeitas a um bloqueio de três anos em relação às suas participações, exceto que a Família Peugeot poderia aumentar sua participação acionária em até 2,5% durante os primeiros três anos após o fechamento, somente adquirindo ações da Bpifrance Participations e DFG.

Antes da conclusão da transação, a FCA distribuiria aos seus acionistas um dividendo especial de € 5,5 bilhões, bem como sua participação na Comau. Além disso, antes da conclusão, a Peugeot distribuiria aos seus acionistas sua participação de 46% na Faurecia. Isso permitiria que os acionistas dos grupos combinados participassem igualmente das sinergias e benefícios que resultariam de uma fusão, reconhecendo o valor significativo da plataforma diferenciada da FCA na América do Norte e a forte posição na América Latina, incluindo suas margens líderes de mercado nessas regiões. . Isso também refletiria o valor agregado que as marcas globais de ponta da FCA, Alfa Romeo e Maserati, trariam, devido ao seu substancial potencial de desenvolvimento.

O portfólio estendido abrangeria todos os segmentos de mercado com marcas icônicas e produtos fortes, baseados em plataformas racionalizadas e otimização de investimentos.

A proposta seria submetida ao processo de informação e consulta dos órgãos relevantes dos funcionários e estaria sujeita às condições habituais de fechamento, incluindo aprovações finais do Memorando de Entendimento vinculativo e acordo sobre documentação definitiva.”

Fonte: PSA

Pelo direito de saber o que comemos

Uma questão importante para Administradores e para a sociedade em geral, normalmente desconsiderada, é a qualidade da alimentação que consumimos nos dias de hoje. Não se trata de desqualificar o papel do agronegócio e da indústria de processamento de alimentos no âmbito mais geral, mas sim a importância de o consumidor saber sobre o alimento que esta chegando à sua mesa. Neste aspecto falamos de transgênico, de taxas de sódio, de conter ou não lactose e outros itens fundamentais para as pessoas com intolerância alimentar, etc.

Os produtores resistem a dar transparência aos dados e informações sobre os produtos. Como diz o IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), ” Informações importantes sobre os alimentos que você consome nem sempre chegam até você e isso pode levar a escolhas erradas. Com rótulos mais compreensíveis e informação adequada, as pessoas podem fazer escolhas alimentares mais conscientes e, consequentemente, mais saudáveis”.

Encampamos a proposta do IDEC e de pesquisadores da UFPR (Universidade Federal do Paraná) encaminhada à ANVISA para aprimoramento da rotulagem de alimentos.

veja a campanha em:

https://idec.org.br/direitodesaber

Temos direito de saber o que comemos:

Fonte: IDEC – Vídeos produzidos pela campanha,