Galaxy Fold o smartphone dobrável da Samsung lançado no Brasil

Depois de atrasar o lançamento do Galaxy Fold que deveria ter sido lançado em maio de 2019 para setembro do mesmo ano no Estados Unidos, acaba de chegar ao Brasil o falado modelo de celular dobrável da Samsung.
Tido como um modelo revolucionário, o Fold apresentou problemas durante a fase de testes, inclusive com aparelhos que haviam sido fornecido a jornalistas para a experiência de uso antes do lançamento.
Além de ser dobrável, o modelo traz seis câmeras embutidas: Ultragrande-angular de 16MP, Grande-angular de 12MP, Teleobjetiva de 12MP, De profundidade de 8 MP e duas de Selfie de 10 MP.
Apesar de recursos muito avançados, o preço de lançamento é salgado, mesmo para uma clientela de bom poder aquisitivo, R$ 12.999,00.
Mundialmente já tem seus modelos dobráveis a Motorola e a Hauwei.
O mercado de tecnologia continua se reinventando em busca do consumidor. Você pagaria para ter este novo mimo tecnológico?

Fotos: Divulgação Samsung

Vai um Fusca Elétrico ai?

Depois de dezenas de anos como o carrinho mais querido dos brasileiros, o Fusca foi aposentado em 1986 e saiu de linha em solo nacional. Mas houve uma situação especial que foi o pedido do então presidente da república Itamar Franco para a montadora alemã para que o Fusquinha voltasse a ser produzido. Aceita a solicitação, nosso fusca voltou em 1993 continuando em linha até 1996 quando, enfim, deixou de ser produzido. Mesmo depois de tantos anos ele ainda continua rodando em nossas ruas e estradas graças ao afeto de seus proprietário amantes.
Como uma boa surpresa, por iniciativa de uma parceria entre VW e a empresa eclassics da Alemanhã, o Velho Fusca renasceu. Agora em versão elétrica e autonomia para até 250 Km com uma carga, produzido pela eclassics com peças originais e sob supervisão da VW. Como é um carro para colecionadores, certamente, não o veremos pelas nossas ruas, mas é bom saber que ele voltou. O sonho de todo brasileiro, o fusquinha esta de volta às ruas na Europa.

Fotos: Divulgação VW e E-classics

Anuidade a ser paga pelos Administradores aos CRA's

O conselho Federal de Administração definiu em Resolução Normativa (RN 572 de 29/10/19) sobre as anuidades a serem pagas pelos Administradores no ano de 2020. O valor fixado foi de R$ 436,06 a ser paga até o dia 30/03/2020. Na mesma RN o CFA autoriza aos CRA´s a possibilidade de conceder desconto de até 15% para pagamento até 28/02/2020.

Veja aqui a integra da RN 572:

http://documentos.cfa.org.br/arquivos/resolucao_normativa_572_2019_728.pdf

Em planárias especificas, os Conselhos Regionais de Administração CRA´s definiram os seguintes descontos:

Percentual de DescontoRegionalData de Vencimento
5% Rio de Janeiro31/01/2020
5%Distrito Federal31/01/2020
5%Mato Grosso31/01/2020
5%Para31/01/2020
10%Amazonas31/01/2020
10%Paraíba31/01/2020
10%Rio Grande do Norte31/01/2020
15%Acre31/01/2020
15%Alagoas31/01/2020
15%Bahia31/01/2020
15%Goias31/01/2020
15%Maranhão31/01/2020
15%Mato Grosso do Sul31/01/2020
15%Parana28/02/2020
15%Piaui31/01/2020
15%Rio Grande do Sul31/01/2020
15%Rondonia31/01/2020
15%Rorraima31/01/2020
15%Santa Catarina31/01/2020
15%São Paulo31/01/2020
Não identificamos os índices de desconto para os CRA´s: AP, ES, CE, PE, SE e TO. É possível que estas entidades não tenham concedido desconto.

Programas executivos na Pearson College London e CUOA Business School

Encontra-se aberto o processo seletivo para bolsas de estudos na Pearson College London e CUOA Business School. Ministrados em inglês, os programas cobrem áreas de Gestão, Marketing, Projetos, Logística, Coaching, Criatividade e Inovação, entre outras, além de visitas a empresas e palestras com executivos renomados. Os programas têm duração de 3 semanas e são ministrados nos meses janeiro e julho. Na Itália, os alunos têm a opção de ir à Genebra e visitar duas organizações internacionais: ONU e OMC. Dispomos de 24 bolsas de estudos para graduandos e graduados, pós-graduandos e pós-graduados da Administradores.Adm. Quem estiver interessado, peço por favor que se manifeste nos comentários abaixo com o e-mail ou me mande um inbox, para que eu possa enviar informações completas e a ficha de solicitação de bolsa.

Inscrições para as turmas de julho de 2020 ou janeiro e julho de 2021 vão até 26 de janeiro.

Bons estudos e até breve.
Prof. Ricardo Britto – prof.dr.britto@usp.br
Doutor em Administração pela FEA/USP
Coordenador do programa de bolsas de estudos

Sobre letras e algarismos

Artigo escrito em Abril de 2013

Sempre preferi as letras aos algarismos. Com o perdão dos matemáticos, o agrupamento de letras me agrada mais que o agrupamento de algarismos. Tributos são algarismos, poesias são letras, e por aí vai. Alguém seria capaz de imaginar o mestre Caetano ou o saudoso Drumond mexendo com algarismos ao invés de letras? Jamais vi alguém cantando uma milhar ou recitando uma centena naquele projeto Seis e Meia do João Caetano, alguém se lembra? O que víamos ali eram letras musicais que nos faziam chegar mais leve em casa, nos faziam mais felizes. Os tempos eram outros.

Posso até dizer que conheço casos de extrema emoção diante de certos agrupamentos de algarismos, o exemplo clássico é quando da abertura do contra-cheque no final do mês (como tem gente que chora…Que o digam as torcidas do Flamengo, do Corinthians, do Vasco, Palmeiras, Santos…Ufa!), Confesso que no meu caso em particular tenho me esforçado para conter as lágrimas.

Um outro caso relativo a algarismo, intrinsecamente ligado ao primeiro, o qual tem me causado problemas, é a perseguição que tenho sofrido de um facínora conhecido como Sr. Zero, mais conhecido como Nada. Esse malfeitor vem me perseguindo há anos e aparece sempre na minha data-base travestido de reposição salarial (sou empregado do Estado). A perseguição implacável já dura mais de dez anos e o danado vem resistindo até aos meus patuás. Oxalá ano que vem esse cálice se afastará de mim.

Continuando sobre os algarismos, alguns outros também têm tido a capacidade de me despertar para alguns sentimentos. Quando vi na TV o nosso velho conhecido Maurício Marinho embolsando R$ 3.000,00, fiquei indignado ao assistir àquela feira (olha o sentimento aí). Depois que outros personagens foram aparecendo (já tem até gente comentando do poderoso Palocci, será?) percebi que três mil eram uma verdadeira merreca, um trocado, um troco perto dos Bis que já andam falando estarem depositados nos paraísos fiscais.

Tenho tido o cuidado para frear os meus “sentimentos mais primitivos” , num plágio ao loquaz deputado Roberto Jéferson, quando vejo alguns marginais (se andaram à margem da lei me sinto autorizado a qualificá-los assim) dissecarem algarismos tão expressivos que sangraram a economia do nosso povo. Vivo me policiando quanto aos sentimentos ruins que a eles poderia direcionar, mas, lamentavelmente, volta e meia sinto um “gostinho de sangue” na boca, sou humano. Quanto à perplexidade e à indignação, alimento-as dia-a-dia com novas notícias, pois esses sentimentos me afastam do conformismo e da sensação de que essa seja a regra. Algo tem de acontecer!

Para finalizar, fazendo finalmente um afago nos algarismos, gostaria de sugerir a algum poeta que recitasse, quem sabe num ressuscitado projeto vespertino como aquele do João Caetano, pausada e melodiosamente, os algarismos referentes aos anos de cadeia que desejamos a alguns bandidos pelo manuseio indevido dos nossos queridos algarismos públicos. Confesso que ficaria emocionado!

Adm Reginaldo Oliveira