CFA: Prêmio Guerreiro Ramos de Inovação na Gestão Pública com inscrições abertas

No final deste mês (31/10) encerram-se as inscrições do ‘Prêmio Guerreiro Ramos de Inovação na Gestão Pública’. Criado em 2010, o concurso tem como objetivo estimular pesquisas científicas e práticas inovadoras, na área de Administração pública, por meio de premiações em dinheiro e reconhecimento profissional.

Os trabalhos a serem apresentados devem estar relacionados ao tema centro do concurso: “Gestão Pública inovadora em Finanças, Gestão e Desempenho“. Podem participar estudantes e profissionais de Administração, com registro nos CRAs de todo Brasil.

Além do troféu, as premiações em ‘práticas inovadoras’ obterão: R$ 10 mil (1º colocado), R$ 5 mil (2º colocado) e R$ 2 mil (3º colocado). Já na categoria melhor ‘pesquisa científica’ os valores serão R$ 5 mil (1º colocado), R$ 3 mil (2º colocado), R$ 1.500 (3º colocado).

Para o presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Mauro Kreuz, que além de administrador é professor, pesquisador e empresário, o concurso visa contribuir para o desenvolvimento de boas práticas e para o desenvolvimento da Ciência da Administração. Segundo ele, uma das preocupações do CFA tem sido promover o desenvolvimento do país.

“Entre os objetivos que fazem parte da nossa existência (do CFA) está o de divulgar, valorizar e estimular a Ciência da Administração, bem como inovações em nosso segmento. Além disso, o prêmio é uma forma de contribuir para o desenvolvimento do Brasil, na medida em que podemos propor novas formas de gestão e mostrar todo o potencial dos profissionais de Administração, e de nossos estudantes”, explicou.

Na categoria ‘pesquisa científica’ podem participar estudantes de Administração, com registro nos CRAs, que tenham desenvolvido estudos na área da Administração. Já na categoria ‘prática inovadora’ podem participar profissionais da administração, registrados nos CRAs, que tenham implementado, executado, participado ou coordenado práticas inovadoras, na área de gestão pública.

De acordo com o diretor de Gestão Pública do CFA, Fábio Mendes Macedo, o evento trará bons frutos para a administração pública do país. “Queremos também trazer essas práticas para o Sistema, e propor cases de sucesso com a finalidade de desenvolver novos projetos para a área de gestão pública brasileira”, revelou.

 Prêmio Guerreiro Ramos (Edição 2019)

Período de Inscrições: 01/08 a 31/10.

Edital, regulamento e mais informações: 

Prêmio Guerreiro Ramos de Inovação na Gestão Pública – Edição 2019

Fonte: CFA

Estudo indica que Câmara Federal tem na sua composição 11,3% de Administradores

A Câmara dos Deputados em Brasília, local onde esta, democraticamente, a representação da sociedade brasileira pode se dividir entre vários grupos representativos dos vários interesses políticos que estão presentes em nossa sociedade. Temos a representação formal através dos vários partidos, mas também temos vários divisões em função de outros temas de interesse. neste sentido nos interessou saber como anda a representatividade dos Administradores no Congresso Federal.

Para chegar nestes números, levamos em consideração a declaração dos parlamentares quando à suas profissões. O número final pode até ser maior já que alguns Deputados dizem ter nível superior, mas não informam qual a sua profissão. De toda a forma para esta soma, consideramos os que são Administradores e que assumiram esta condição e que estão no exercício do mandato. Não tivemos como confirmar quais deles são registrados nos seus respectivos CRA´s, fica esta tarefa para os respectivos Conselhos.

De toda a forma o resultado é positivo. No levantamento feito com os parlamentares da 55ª legislatura (de 2015 a 2019) tínhamos 7,8 % de representação. Já na legislatura atual, 56ª (de 2019 a 2023) passamos a ter 11,3% dos 513 parlamentares federais.

Para todos nós Administradores, é importante saber quem são nossos colegas em Brasília para que possamos cobrar dos mesmos ações que fortaleçam nossa profissão.

Abaixo a relação destes Deputados. Acompanhe seus mandatos e cobre sua representação.

Alan RickACDEM
Antonio BritoBAPSD
Felix Mendonça JrBAPDT
Cacá LeãoBAPP
BacelarBAPodemos
Raimundo CostaBAPL
Paulo AziBADEM
Oto Alencar FilhoBAPSD
Heitor FreireCEPSL
Junior ManoCEPL
Moses RodriguesCEMDB
Celina LeãoDFPP
Paula BelmonteDFCidadania
Evair Vieira de MeloESPP
Glaustin FokusGOPSC
Lucas Vergilio GOSolidariedade
Hildo RochaMAMDB
Pedro Lucas FernandesMAPTB
Diego AndradeMGPSD
Mario HeringerMGPDT
Rodrigo de CastroMGPSDB
Stefano AguiarMGPSD
Tiago MitraudMGNOVO
Dagoberto NogueiraMSPDT
Celso SabinoPAPSDB
Aguinaldo RibeiroPBPP
Rui CarneiroPBPSDB
Daniel CoelhoPECidadania
Fernando Coelho FilhoPEDEM
Gonzaga PatriotaPEPSB
Luciano BivarPEPSL
Atila LiraPIPSB
Rejane DiasPIPT
Diego GarciaPRPodemos
Fabio Faria RNPSD
Walter AlvesRNMDB
Christino AureoRJPP
Paulo RamosRJPDT
Haroldo CathedralRRPSD
Henrique FontanaRSPT
Marlon SantosRSPDT
Coronel ArmandoSCPSL
Geovania de SáSCPSDB
Bosco CostaSEPL
Fabio MitidieriSEPSD
Laercio OliveiraSEPP
Adriana VenturaSPNOVO
General PaternelliSPPSL
Guiga PeixotoSPPSL
Luiz Philippe de Orleans e BragançaSPPSL
Marcio AlvinoSPPL
Marco BertaiolliSPPSD
Maria Rosas SPRepublicanos
Nilto TattoSPPT
Paulo Pereira da SilvaSPSolidariedade
Vinicius CarvalhoSPRepublicanos
Vinicius PoitSPNOVO
Carlos Henrique GaguimTODEM

Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados

7º Encontro com conhecimento SINDAERGS – Palestra NEUROMARKETING

Programação:

19:00 – Abertura
19:30 – Palestra Neuromarketing (Gabriel Levrini)

Neuromarketing é um campo de estudo recente do marketing que estuda a essência do comportamento do consumidor.
Busca entender como o consumidor toma as decisões de compra a nível neurológico, entender como o cérebro do consumidor reage aos estímulos que recebe, analisar estas reações e adequar a abordagem, a comunicação e a mídia para maior impacto e conversão, criar um ambiente de marca onde os consumidores possam se envolver com ela em um nível multi-sensorial com profundo engajamento.

Realização: Sindicato dos Administradores no Estado do RS (contato@sindaergs.com.br)

Local: Av. Érico Veríssimo 960 – Menino Deus – Porto Alegre/RS

Estacionamento GRATUITO no local

A diversidade que rende lucros

Como as empresas vêm percebendo que adotar ambientes e políticas de diversidade podem tornar os negócios mais lucrativos

O quadro de executivos das empresas brasileiras é composto por 13% de mulheres, 4% de negros e 0,6% de pessoas com deficiência. A decisão de compra nas famílias é feita por mulheres na proporção de 61%; o “pinkmoney”, dinheiro movimentado pela comunidade LGBT, soma cerca de R$ 420 bilhões por ano somente no Brasil. Enquanto as corporações ainda engatinham para incorporar a diversidade entre seus quadros superiores, o mercado mostra que ignorar esse segmento pode custar caro.

“Quando as empresas entendem que a diversidade não é apenas uma questão filosófica, que pode trazer resultados, elas realmente mudam”. A afirmação é da administradora Thalita Gelenske, fundadora e CEO da Blend Edu, empresa especializada em sensibilizar e educar as corporações sobre a importância da diversidade.

Thalita trabalhou por sete anos desenvolvendo políticas de diversidade numa multinacional. “Eu atuava disseminando essa mensagem dentro da empresa. Dialogando com outras companhias, profissionais de RH e até marketing, fui identificando essa demanda e comecei a pensar em como empreender e disseminar a mensagem da importância da diversidade para as organizações”, conta.

Membro da comunidade LGBT e com vontade de mudar a realidade das empresas brasileiras quando o assunto é diversidade, ela pediu as contas da empresa onde trabalhava e montou uma start up para desenvolver ações de sensibilização sobre o tema, além de prestar consultorias. Assim nasceu a Blend Edu.

RESULTADOS PRÁTICOS – Quando é solicitada para atender uma empresa, o primeiro passo da Blen Edu é identificar a estratégia de negócios da companhia e pensar em como conectá-la com o tema da diversidade. “A partir disso, verificamos qual é a melhor forma de atuação: se começamos pela alta liderança, se focamos com recrutadores. Construímos uma estratégia que faça sentido como um todo”, explica.

Antes de qualquer coisa, a Blend Edu incentiva as empresas a fazerem um diagnóstico da diversidade, para entenderem seus ambientes. “Temos que ter dados para tomar decisões e saber onde queremos chegar”, explica Thalita.

Mas o trabalho não se limita a uma questão ética. “Há várias pesquisas que indicam o quanto a performance e a participação de mercado das empresas que promovem a diversidade conseguem atingir. Fora isso, essas ações refletem diretamente na cultura interna, além de fazer com que os funcionários sintam-se mais engajados”, afirma a administradora.

A McKinsey&Company, empresa americana de consultoria, estuda há anos a diversidade no local de trabalho. Em 2015, publicou o relatório “DiversityMatters” (em português, “A Diversidade é Importante”), no qual analisou dados de 366 empresas de capital aberto no Canadá, América Latina, Reino Unido e Estados Unidos. O estudo procurou demonstrar como a diversidade impacta no desempenho financeiro das empresas. Evidenciou-se que as que promovem a diversidade racial e étnica, por exemplo, estão 35% mais propensas a obterem retornos financeiros acima da média nacional de seu setor.

Outras pesquisas também demonstram o impacto (positivo) da diversidade nas companhias. Estudo promovido pela Harvard Business Review, em 2016, mostrou que organizações que trabalham com políticas de diversidade têm 45% mais chances de aumentar a participação de mercado durante o ano.

Outro estudo, dessa vez do banco CreditSuisse, de 2017, apontou que empresas que trabalham com políticas globais para o público LGBT registraram um crescimento no lucro 6,5% maior nos últimos 6 anos, quando comparado aos concorrentes que desprezam a diversidade.

A consultoria HayGroup mostrou em outro estudo, de 2015, que os funcionários estão 17% mais engajados e 75% deles reconhecem que tem espaço para inovar quando estão inserido em empresas onde a diversidade é reconhecida e praticada.

Fonte: CFA

Clique aqui e confira matéria completa: https://online.flippingbook.com/view/1003310/14/

FIA Fórum Internacional de Administração será realizado em outubro em Palmas – TO

O Fórum Internacional de Administração – FIA é o maior evento de Administração do Brasil e um dos principais do mundo. É realizado a cada dois anos pelo Sistema CFA/CRAs, considerando-se sempre na sua programação a importância de abordar assuntos atuais e que impactam no desenvolvimento das organizações, da sociedade, do País e do mundo.
Na sua XVI edição, o Fórum será realizado em Palmas no período de 01 a 03 de outubro. O evento propõem trazer soluções e debates no que tange ao tema da Liderança Empreendedora, que é um diferencial competitivo perante o cenário econômico vivenciado na atualidade.

O encontro visa difundir a ciência da Administração, entre gestores e profissionais da Administração, destacando a identidade, perfil, valor e importância do profissional ADM na gestão das organizações a nível nacional e internacional.

Primeira edição
O Fórum Internacional de Administração teve sua primeira edição realizada em 1989, na cidade de Porto Alegre/RS/Brasil e, posteriormente, em diversas capitais e cidades dos estados brasileiros. O evento teve passagens, ainda, pelos Estados Unidos da América (Miami), Espanha (Madri), Canadá (Montreal), Portugal (Coimbra) e Itália e Suíça (Torino e Genebra). Na última edição, em 2017, o FIA foi realizado no Brasil, na cidade de Gramados/RS.
O FIA tem como proponentes o CRA-TO e CRA-DF, contando com o apoio especial do CFA, Sebrae-TO, Prefeitura de Palmas e Governo do Tocantins, assim como dos demais CRAs. Conta ainda com a parceria especial das principais instituições do Tocantins, do Distrito Federal e outras de nível nacional e internacional.
Fonte: CRA-TO